Memorial do IME-USP

“Dê-me uma alavanca e um ponto de apoio e levantarei o mundo”
Arquimedes

Assim é a obra de nossos professores, funcionários, alunos e ex-alunos. Cada nome homenageado neste site representa alguém que faz muita falta e é lembrado com carinho por colegas, familiares e entes queridos. O imensurável legado daqueles que marcaram a história do Instituto continua a nos inspirar todos os dias.

Saulo Rabello Maciel de Barros

Responsive image

Morreu neste domingo (11.07.2021), aos 63 anos, o professor Saulo Rabello Maciel de Barros, docente do Departamento de Matemática Aplicada (MAP) do Instituto de Matemática e Estatística da USP. Casado com Karin, Saulo deixou 4 filhos e uma neta. Com bacharelado em Matemática Aplicada (1980) pela USP, Saulo foi contratado como docente deste departamento em 1982. Concluiu seu mestrado em 1984 orientado pelo Prof. Jorg Blatter e posteriormente o doutorado na universidade de Bonn, orientado pelo Professor Ulrich Trottenberg, ambos no campo da análise numérica, tendo posteriormente feito estágios de pós-doutoramento na Gesellschaft Fur Mathematik Und Datenverarbeitung, na Alemanha, e também no European Centre For Medium Range Weather Forecasts, ECMWF, Inglaterra. Saulo obteve o título de livre-docência em 1995 com tese sobre métodos numéricos para modelos numéricos na previsão do tempo, e teve inúmeras contribuições científicas durante a sua carreira nesta área. Colaborador de longa data do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC-INPE), foi peça chave na construção do atual modelo de previsão de tempo global do centro (o Brazilian Atmospheric Model). Além de sua contribuição científica, Saulo também foi ativo em diversas outras esferas da vida acadêmica. Formou 6 alunos de mestrado e 5 alunos de doutorado, tendo sido um orientador presente e cuidadoso sempre preocupado em ajudar da melhor maneira possível seus orientandos. Também foi muito importante na gestão da universidade, tendo sido chefe do Departamento entre 2000 e 2004, coordenador do programa de pós-graduação do MAP entre 2014 e 2016, e vice-diretor da Estação Ciência da USP entre 2003 e 2005. Saulo também está intimamente ligado com o Curso de Ciências Moleculares da USP, onde lecionou regularmente desde 1996 até seu falecimento, participando da comissão coordenadora por 15 anos entre 1997 e 2012, sendo coordenador entre 2008 e 2012. Sua contribuição foi fundamental na formatação e estabelecimento desta graduação, tendo sido uma das principais referências para grande parte dos alunos que por lá passaram. Saulo também foi peça fundamental na relação do MAP com a Poli, tendo também coordenado por muitos anos a equipe que ministrava a disciplina de Cálculo Numérico. Entre todas estas atividades, também foi o responsável por organizar os jogos de futebol semanais onde participavam diversos membros da comunidade do IME, incluindo alunos, funcionários e docentes. Para além de toda a parte mensurável de sua atuação, o professor Saulo foi, para todos os que o conheceram, uma influência notável. Por muitas vezes reservado e sempre sensato, Saulo possuía um senso de justiça e de propósito que muitas vezes nos apontava a direção correta a seguir. Seu senso de humor, ao mesmo tempo seco e fino, não raro despertava gargalhadas nos presentes que tomavam conta do salão de café do instituto, enquanto o próprio Saulo segurava sua risada. Sua partida repentina deixa em todos os que o conheceram um grande vazio.






Lembranças dos idos de 1977, quando migrou da Poli para o IME. Boas lembranças e muito carinho. Beijos fraternos.

Luiz Amarante
IME-USP

Caros colegas, que notícia triste. O Saulo foi uma das lideranças do futebol dos professores e alunos de pós-graduação do IME durante os últimos 30 anos. Começamos a jogar juntos ainda no final dos anos 80, quando ele voltou do doutorado. Centenas de estudantes de pós-graduação e dezenas de colegas professores do IME e de outros Institutos se divertiram (e tomaram bronca do Saulo) em nossas partidas semanais. Ele negociava com os responsáveis pelo campo, seja no Cepeusp ou nas muitas quadras privadas que jogamos aqui na região do Butantan, fazia os rateios para pagamentos (e cobria com sua própria grana quando faltava – sempre faltava), cobrava pontualidade e esforço dentro da quadra. Ficava muito indignado quando perdia, mas o sorriso vinha nas brincadeiras após o jogo. Fizemos muitos churrascos para reunir a moçada e celebrar a vida. Muitos. Tenho certeza absoluta que aquela seriedade e capacidade de organização tornaram as experiências desses muitos estudantes na cidade de São Paulo muito mais agradável. E criaram um ambiente de camaradagem entre os colegas que durante todos estes anos, ou em parte deles, participaram desta incrível atividade. Sem dar muitos detalhes sobre os motivos, ele parou de jogar em 2018. Desejo força para a família e amigos neste momento difícil. Obrigado, Saulo.

Fábio Prates Machado
IME-USP

Realmente, sentiremos muito sua partida. Professor Saulo profundamente nos motivou a reflexão, a análise e o espírito crítico e sensato sempre que possível. Recordo-me de tê-lo visitado alguns anos atrás como forma de buscar um conselho. Tenho ele como referência e inspiração para falar, nas minhas aulas, sobre como é feita a previsão do tempo, sobre cálculo, sobre programação e sobre cálculo numérico. Saudações

Danilo Furlan Kaid
IME-USP

Me lembro do Saulo com extremo carinho. Durante o periodo em que estive no MAP-IME (1998 à 2007), convivi com ele profissionalmente (lecionando o Curso de Calculo numérico na POLI sob sua direção) e também nas “peladas” que a gente jogava semanalmente no campinho perto da USP. Para mim, ele era um exemplo da “força tranquila”. Alguém que liderava naturalemente e sempre tinha posições equilibradas e justas. A sua generosidade também me impressionava. Como eu não tinha carro, ele me dava carona até minha casa depois dos jogos de futebol, apesar de eu morar em uma direção completamente oposta à casa dele ! Enfim, uma pessoa singular e rara, que certamente marcou a vida de muita gente.

Daniel Panazzolo
Université de Haute-Alsace - France

Você nos preparou para trabalhar com pontos fixos, erros numéricos, atratores, sistemas caóticos, prazos injustos e questões impossíveis. Mas tudo me escapa nesse momento. Quero dizer que, durante minha graduação, enquanto eu caminhava para um caminho que me faria infeliz, o Saulo foi a única pessoa a perceber e me questionar sobre isso, anos antes de eu mesmo perceber. Na época não dei atenção mas hoje somo o que ele me disse a todas as outras lições. Nunca o agradeci por isso, mas adiciono esse a um obrigado por tudo. Pelas lições, pelas broncas, pela paciência, pelo carinho, pela companhia. Infelizmente você não está aqui para ler isso, mas de outra forma talvez isso jamais fosse dito.

Victor Mendizabal Coelho
CECM - USP

Conheci Saulo em 2007 quando era estudante de pós-graduação do IME-USP. Fui seu aluno, não nas salas de aula, mas dentro das inumeras quadras onde jogamos bola duas vezes por semana durante os 6 anos que fiu parte dos boleiros de Saulo e Clodoaldo. Era raro que errase um passe ou perdesse a bola, um verdadeiro crak! Uma excelente pessoa, cobrava compromisso e tinha um humor fino e uma gargalhada bacana!. Um abraço fraterno aos familiares e amigos, uma perda imensa! Descanse em paz Saulão!

Jaime Chamorro
UFBA

O IME perdeu uma das pessoas mais respeitadas e justas que já tive a honra de conhecer. Um alicerce que teremos muitas dificuldades para restaurar. De poucas palavras, exercia uma liderança incontestável. A opinião do Saulo era a importante, … era a ponderada, … era a sensata. Mas o Saulo era ainda muito mais do que um colega pra mim, era amigo. Aquele amigo que está sempre ali para dar apoio nos piores momentos. Ele, com sua amizade discreta, nos fazia sentir seguros. Conhecidamente reservado, permitiu que minha família convivesse com sua linda família. Não consigo lembrar de qualquer encontro lá em casa em que Saulo não estivesse. Claro que ele raramente confirmava presença, talvez um “rosnado”, mas, certamente, teríamos sua alegre presença. O tio Saulo não estará nos próximos encontros, mas sempre estará em nossos corações. Saulo, sua risada fácil será inesquecível! Saudade que dói no peito e só o tempo vai amenizar.

Cláudia Peixoto
IME-USP

Caríssimo Saulo, Não entendo porque decidiu partir assim de forma tão repentina, da nossa última conversa não era assim que você planejava, deve ter suas razões (ou não). Durante quarenta anos de convivência dividimos conquistas, algumas frustrações mas muito mais importante a amizade pela qual sempre serei grato a ti. Obrigado por deixar tantas coisas boas conosco. Henrique

Henrique von Dreifus
IME-USP

Saulo foi meu orientador no doutorado, meu mentor naquela importante etapa da vida académica. No começo, tive a impressão que era um professor sério e muito reservado. Mas, no passo do tempo, notei que dentro da sua forma estrita e crítica, existia uma enorme sensatez com um grau de humor reconfortante. No final, foi um grande professor que me ensinou a ser uma pessoa independente na pesquisa e com orgulho lembrarei sempre dele a ideia de que no final eu deveria me tornar uma pessoa com sentido crítico.

Leonardo Andrés Poveda Cuevas
IME-USP

Minhas condolências à família do professor Saulo e a todos os que o queriam bem. Ele foi certamente um dos melhores docentes que tive o prazer de conhecer em minha passagem pelo IME USP, dono de um sendo de humor ímpar e uma sagacidade acima do normal. Ficam comigo as memórias e ensinamentos das tantas aulas e cafés no salão do chá do IME USP. Vá em paz professor, e muito obrigado!

Fábio Hirano
IME-USP

Tchau Saulo. Nao, nao vou dar um adeus. Porque a memoria fica present aqui na terra. Grande orientador e amigo. Ensinou e compartilhou matematica, mas tambem profissionalismo e pensamento critico. Nunca concordamos em termos de futebol, mas ta,bem era so’ um pretexto para gerar controversia. Descanse.

Leonardo Borges
Intel Corporation

minhas condolências para a família e seus amigos e amigas! Forte abraço JOrge

jorge adrián beloqui
IME-USP

Mais um grande amigo que se vai, mas ficam boas lembranças de conversas animadas e da confiança construída ao longo de tantos anos. Meus sentimentos a família. Muita luz na sua jornada.

Luis Carlos de Castro Santos
MAP-IME-USP

O Saulo foi meu orientador de mestrado e foi o grande responsável por me ensinar o que é fazer pesquisa. Fazia críticas e perguntas com a expressão totalmente séria, que me faziam ter medo de encontrá-lo pelo IME enquanto não resolvidas, mas que depois mostravam que ele estava totalmente certo. Era impecável no que fazia, lecionando, pesquisando e coordenando, e queria que assim aprendêssemos a ser como profissionais. Depois da defesa se tornou um amigo, era sempre agradável encontrá-lo no IME e conversar tomando um café. Deixa ensinamentos que jamais serão esquecidos e imensa saudades.

Larissa Sartori
IME-USP

DOR QUE DÓI DE VERDADE O amigo Saulo se foi… Foi-se um grande amigo. Como é difícil admitir a fragilidade Desta condição que chamamos vida. Aceitar a perda da amizade De alguém que nos é tão caro. E, por antecipação, sentir saudade De alguém que mal acabou de partir. Amigos partilhando com intensidade Olhos vermelhos e mareados, É dor que dói de verdade. C.P. 13/07/21

Claudio Possani
IME-USP

De forma trágica, meu pai acadêmico se foi. Foram mais de 15 anos de convívio para além do acadêmico. Uma referência para mim e para muitos no IME. Um exemplo a ser seguido. Um verdadeiro professor, que me ensinou sobre matemática e sobre coisas da vida. Vou sentir muita falta de seus conselhos, suas broncas, suas aulas, suas rosnadas e risadas. De tomar um café junto. A vida segue, mas com um vazio muito, muito grande, e sem o alicerce que fundou minha carreira.

Pedro S. Peixoto
IME-USP

Muito obrigado a todos que nos mandaram mensagens de carinho e apoio. Apesar do momento difícil, as mensagens trazem conforto e boas memórias, lembrando a todos das características marcantes do Saulo professor, colega, amigo, pai e marido. Sempre correto e com senso de humor afiado, disposto a ensinar, ajudar, ter um bom debate, arrancar risadas e discutir sobre, organizar ou jogar futebol. O IME, com os amigos, professores, alunos e funcionários, foi parte fundamental da formação e da vida do Saulo em mais de 40 anos e também de nossa família, que teve o prazer de conviver com tantos amigos e suas próprias famílias desde quando o Saulo sequer era casado até os quatro filhos virarem adultos e a chegada da primeira neta, xodó do vovô! Foram muitos os eventos, churrascos e partidas de futebol. Carreguemos juntos as boas lembranças e o jeito leve de encarar a vida do Saulo, que tanta falta fará! Grande abraço a todos! Karin, Guilherme, Tiago, Marina e Danilo.

Tiago Maciel de Barros
IME-USP

Foi uma grande honra ter contado com o Saulo como professor e orientador. Levei um pouco de tempo para ficar a vontade nas reuniões com ele. Mas foi algo bem natural. Depois de alguns meses, já dava até para descobrir algumas histórias de quando ele estava na graduação. As sugestões dele foram sempre muito precisas e, ao mesmo tempo, desafiadoras. Demorava um pouco para entender bem o significado delas e para conectar bem cada parte. Mas era importante que fosse assim. No fundo era uma forma de aprender sobre como trabalhar com pesquisa. Vai fazer bastante falta poder bater na porta dele ou fazer as reuniões sobre a tese usando chamadas de vídeo como foi nesse último ano.

Genilson Schunck de Lima
IME-USP

It’s hard to find the right words for Saulo’s sudden death. I remember meeting him the first time a few years ago. He is a very kind and gentle person, open to explain also simple things to me. His way to explain things should be inspiring to everyone. I had different plans with Saulo once I’d return to Sao Paulo. In particular handing over some beer I owed him because he helped out in putting some insight into an academic question during the Corona crisis. But also watching a live soccer game or simply having one of the inspiring and insightful conversations with Saulo was on the list. It’s shocking to see him passing away so early. Although he’s gone, Saulo will continue living not only through his own children but also his academic children and everyone else he inspired such as myself.

Martin Schreiber
Technical University of Munich

Saulo, homem de poucas palavras, grande autoridade e respeito. Eu compartilhe com ele dentro e fora do IME. Minhas condolencias a sua familia.

Diego A Sandoval
IME-USP

Saulo fue uno de mis profesores más importantes mientras cursaba mi doctorado. Fue decidor y punto de inflexión para terminar con éxito el postgrado. Recuerdo su humor especial, buen profesor, pero mejor persona. A su familia mis mejores deseos en esta nueva etapa sin su presencia física, pero sin duda el rastro que dejó ayudará para superar estos difíciles momento. Vuelta alto mi querido profesor, mi querido Saulo.

Juan Carlos Egaña
Depto de Matemáticas, UCN, Chile

Eu não o conhecia muito bem, mas a qualidade das poucas encontros me deixe pensar, lembrar e escrever. Lembro-me de um momento num IME desolado num final de semana quando o Saulo deu ajuda imediata em um momento difícil. Amizade imediata e sem perguntas. Simplesmente ajudou, com um coração aberto, a coisa mais simples, às vezes por isto mais rara. Depois este primeiro encontro, eu sempre gostava de vê-lo nos corredores, falamos sobre a dia-dia, e em momentos criticos involvendo a política do IME nós nos entendemos bem tambem. Eu sabia que eu podia procurar ele para conversar, e que iria entender o que eu quis diser, e mostrar muito bom senso. É muito triste. E eu não posso entender … Estamos todos aqui em um momento especial e precioso, E isso reforça a noção de que não temos tempo a perder, como nunca sabemos, de nós mesmos, dos nossos proximos… Eu vou sentir falta dele e quero dar um grande abraço em sua família e amigos. Saulo: Obrigado pela sua presença em nosso mundo, pelo seu humor, seu coração, sua simplicidade. Talvez você não soubesse quanto iria fazer falta. Abraços para todos Albert.

Alby Fisher
MAT-IME_USP

Tive a grande sorte e oportunidade de ser supervisionado pelo Professor Saulo nestes 2 anos de Pós Doutorado. Assim como muitos aqui comentaram, em um primeiro contato com o Professor Saulo em um seminário no IME, confesso que fiquei com pouco de medo, suas perguntas eram claras e diretas e me tiraram da zona de conforto, me fazendo pensar com muita calma antes de dar alguma resposta para ele. Com o passar do tempo comecei a entender um pouco mais sobre quem era o Professor Saulo. Com seu jeito sério, algumas vezes dando risadas, quase sempre tomando um café, ele estava sempre disposto a ensinar e a me guiar pelos caminhos da vida acadêmica e alguns assuntos do cotidiano. Com a pandemia e o aumento das reuniões online, a “presença” do Professor Saulo em minha casa aumentou, várias manhãs e tardes de conversas e discussões. Sou muito grato por ter tido a sorte e a oportunidade de conviver com o Saulo e aprender com ele. Muito Obrigado por todos os ensinamentos Saulo!

Felipe A. G. Silva
IME-USP

Cheguei ao Ime em 97, o meu orientador foi o Clodoaldo, vizinho de sala do Saulo. No começo eu tinha um pouco de medo dele, parecia que estava sempre me zoando, e bravo ainda por cima (hoje sei que estava mesmo, só não estava bravo). Com os anos, aprendi a ver a docura escondida. Um cara amoroso, atencioso, divertido, que doi muito pensar: nao esta mais aqui. Nunca vou esquecer dele passeando com o cachorro, todo santo dia. Alegria discreta, mas transparente. Minha filha, minha mulher, quase sempre que saiam pra caminhar, voltavam contando alguma coisa do Timbó e do seu querido amigo. As saudades e as lembranças serão muitas. Que Deus ilumine a sua alma.

Salvador Addas Zanata
IME-USP

Confesso que o meu primeiro pensamento sobre o Professor Saulo foi “que medo!”. Ele tinha uma cara séria e poucos amigos, depois ouvi uma de suas frases agora famosas e o medo foi embora. É difícil pensar em um IME sem o Saulo, sem o som de suas risadas e das que ele provocou. Não sei se tenho as palavras certas para aliviar os sentimentos de dor e vazio deixados por sua partida precoce, o que sei é que ele não gostaria que o lembrássemos com tristeza e lágrimas. Relembrar seu legado, suas histórias e seu café é como ele estará presente e perdurará, é o que o torna eterno. Minhas mais profundas condolências a sua família e seus irmãos e filhos acadêmicos. Muita força para todos!

Ana C. Rojas Mendoza
MAP - IME - USP

Caríssimo professor, me lecionou Análise Numérica no mestrado e foi com muito pesar que recebi a notícia. Enviei um rascunho da minha dissertação convidando-o para fazer parte da minha banca… no final acabou não podendo participar mas me pediu a versão final do texto pois se interessou muito pelo assunto. Enviei a ele no ano de 2021 e, por sorte, aproveitei para agradecer por toda sua atenção durante minha passagem. Meus pêsames aos familiares.

Carlos Guatimosim
IME-USP

Bom o Saulo vai certamente deixar um buraco dentro no meu peito. Eu gostaria de relatar um fato muito interessante que mostra um pouco a personalidade do Saulo. Em primeiro lugar uma vez tive uma discussão com ele e eu estava totalmente errado, eu fui pedir desculpas e ele disse claro que não precisava, no dia seguinte agimos como se nada houvesse acontecido. Eu meio envergonhado e ele deixando eu conviver com minha vergonha mas perdoando completamente. Agora uma coisa mais interessante. Eu tive vários problemas com um filho adolescente que tinha muito dom para esportes. Em particular ele jogava futebol, falei com o Saulo e o ele me disse baixinho ele pode jogar no nosso time. Ai ele começou a “cuidar”do meu filho. Se ele faltava o Saulo pegava no pé dele, mas não me dizia, eu ficava sabendo pelo Pablo (meu filho). Uma hora o Pablo começou a dizer que era difícil ele ir porque não tinha carro etc… O Saulo lhe disse isso não é desculpa eu posso te buscar e te levar de volta. E assim foi quando o Saulo não podia trazer ou levar ele arrumava alguém para fazê-lo. Ele foi uma outra figura masculina importante para o Pablo. O Pablo quando eu disse que o Pablo havia falecido disse “Holy shit” e começou a chorar e disse ele era um cara fora de série. De modo que fica minha afirmação que se foi uma grande pessoa. Este ano está difícil. Abraço a todos com a alma em prantos.

Eduardo do Nascimento Marcos
IME-USP

Condolências sobre passagem do Prof Saulo Aos caros amigos do Depto de Matematica Aplicada e do IME, Sou ex-aluno do curso BMAC, formado em 2010, e foi com profundo pesar que recebi a notícia do falecimento deste grande professor por quem nutria considerável admiração e que tanto honrou este Instituto e este Departamento. Tive o imenso orgulho de contar com o Prof Saulo na banca examinadora do meu TCC de graduação. Meus pensamentos estão com a família que sofreu um golpe muito doloroso. Quanto àqueles que tiveram a oportunidade de se cruzarem com ele, quer como alunos ou como colegas de profissão, a perda é irreparável, mas o legado riquíssimo que foi deixado certamente farão dele alguém inesquecível. Força a todos. Um forte abraço,

Flavio Sant' Ana Daher
IME-USP

Assustador – O Saulo nos deixou, assim, sem aviso previo… como pode ser?! Lembro dos comentarios do Saulo quando discutiamos a separacao (muito amigavel) do antigo MAP+MAC em 2 departamentos distintos. Contrario a opiniao quase unanime a favor da ideia, o Saulo fez algumas objecoes que, com o passar do tempo, eu passei a entender melhor. Creio que, atuando em Analise Numerica, ele via com clareza uma unidade e a possibilidade de grandes sinergias entre Matematica Aplicada e Computacao, o que vale tambem para a area de Otimizacao, em que atuei por alguns anos. O Saulo, com seu bom humor e camaradagem, era uma forca de uniao no MAP. Tristeza, saudades e meus pesames aa familia. —Julio Stern

Julio Michael Stern
USP

Saulo foi me amigo na adolescência. Em 1976 entramos na USP. Ele na Poli e eu na Matematica. Aquele ano serviu para ele descobrir a Matemática e para eu descobrir que ela não era para mim. Em 1977 ele veio para Matemática e eu ainda não havia saído. Ambos estávamos matriculados em Física 03. Nas primeiras 2 semanas de aula, em vez de ir a aula, fomos jogar tênis, uma das atividades preferidas do Saulo, ao lado do futebol. Na terceira semana sugeri a ele jogar menos tempo e ir até a aula tomar pé do que estava acontecendo. Entramos na sala uns 45 minutos após o início da aula. Sala cheia. Silêncio total, só o professor falando, e uma louza cheia de equações. Vi um lugar no meio e me sentei. O Saulo sentou mais atrás numa outra das poucas cadeiras vagas. Ouvi a aula durante uns 10 minutos e não tinha noção do que estava sendo explicado. Perguntei ao colega ao lado: – Sou só eu que não estou entendendo ou são todos? A resposta: – Não é só vc. É difícil mesmo. Mais 5 minutos de aula, alunos em silêncio e mais equações. De repente o Saulo levanta a mão e faz uma pergunta mais ou menos assim : – Isso que você está dizendo é similar a aquilo quando acontece de um modo X? A resposta do professor : – Exatamente! Lembro até hoje de todos aqueles alunos aplicados das primeiras fileiras virarem para trás para saber quem tinha falado aquilo. Daí para frente a vida seguiu e ele se tornou esse cara que todos falam acima. Tudo regado a um bom humor fino e inteligente. Boa viagem meu amigo! Me sinto um privilegiado de poder te chamar assim.

MARCELO UCHOA ALVES DE LIMA
IME-USP

O professor Saulo foi uma das primeiras pessoas com quem conversei ao chegar ao Ime. Não tive a oportunidade de ter aula com ele, mas participei de alguns seminários e monitorias de cálculo numérico, onde pude conhecê-lo melhor. Saulo tinha um conhecimento e didática admiráveis. Sua ponderação na hora de dar uma opinião refletiam uma pessoa justa e que realmente se preocupava muito com o impacto das suas palavras. Lembro com carinho das inúmeras conversas no café, a maioria delas sobre futebol, eu tirando sarro do São Paulo e ele revidando pelo Grêmio. Demos boas risadas. Quando estava na véspera da viagem para o meu intercâmbio o encontrei no Ime e conversamos um pouco. Sua percepção da minha insegurança e sua gentileza ao me escrever no dia seguinte, foram muito reconfortantes. Você partiu cedo demais, Saulo! Você fará uma falta enorme.

Bruna Cassol dos Santos
IME-USP

Saulo, por anos juntos no CCM nas reuniões semanais da Comissão Diretora, tive a maravilhosa oportunidade de conviver contigo. Sempre era possível encontrar a melhor forma para os que precisavam de um estímulo na Matemática. Saber distinguir e acompanhar, avaliar e aninhar eram características ímpares. Dizem que a boa herança é aquela que dispensa testamentos. A boa herança é deixada para todos os que podem usufruir. Saulo, você deixou uma boa herança para todos nós, e sei que cada um sente-se, como eu, privilegiado por ter convivido contigo. Fará falta e deixa saudades.

Regina P. Markus
IBUSP (CCM)

Quando tive aula com o Saulo, vi um professor brilhante e dedicado, o qual me admirava pela sua clareza e profissionalismo. Tive a sorte de contar com o Saulo na minha banca de TCC e do mestrado. Seus comentários e perguntas sempre foram desafiadoras e enriquecedoras. Também tive o privilégio de ser seu monitor na disciplina de Análise Numérica da pós. Trabalhar com o Saulo foi um período de muito aprendizado e evolução, sendo muito agradável e divertido conviver com ele por conta do seu humor. Será sempre uma referência para mim e para muitos outros. Sentirei muito sua falta e da sua inconfundível risada durante os cafés no IME, Professor Saulo.

Luan da Fonseca Santos
IME-USP

Craque na bola, craque na escola O que dizer de um velho amigo que se vai tão cedo e que ainda tinha tanto a somar em nossas vidas? Talvez só mesmo lembrar da figura presente e marcante no cotidiano, por tanto tempo. No trabalho, nas quadras e nos encontros mais descontraídos (futebol e tênis, para ele, eram coisas sérias) e que hoje, em retrospectiva, parecem poucos demais. Lembrar da cara de bravo que só assustava os desavisados, da inesgotável disposição para uma boa prosa ou uma discussão séria, sobre Matemática, política universitária ou nacional, ou qualquer outra coisa, a gosto do freguês. Quantas vezes precisei ser lembrado de que isto, longe de ser uma “perda de tempo” é parte essencial da vida acadêmica, como ele a concebia. E, claro, qualquer um que se aventurasse a discordar do cara, como eu mesmo frequentemente tentei, que se preparasse bem, os argumentos do outro lado seriam sempre firmes, inteligentes e fundamentados. Enfim, velho amigo, Saulo, nosso capitão na bola e no trabalho. Para mim, símbolo de uma Academia que também está nos deixando, meu sentido e doloroso adeus.

Antônio Luiz Pereira
IME-USP

Eu não consegui ver o que muitos colegas/alunos diziam sobre o Saulo, com alertas sobre seu jeito diferente no trato. Eu só encontrei um professor brilhante, com uma clareza, didática e profundidade que nunca tinha encontrado em tantos anos de USP. Fui “obrigado” a elogiá-lo diversas vezes…só tomando cuidado para não parecer bajulação. Seu tipo de humor era o meu preferido! Ter convivido com você ele fora da USP mostrava mais ainda sua humanidade. Brigadão, Saulo, por ter passado em minha vida acadêmica!!

Wenderson Alexandre
Unicamp/USP

En retrospectiva creo que Dios me puso a Saulo en mi camino. Deseo sinceramente que su familia encuentre paz y reconforto . Gracias Saulo descansa en paz.

Xyoby Chavez Pacheco
UTEC Peru

Saulitcho querido se foi tão cedo, tão repentinamente. Sem nem um resmunguinho ou um grunhido. Deixa saudades, muitas lembranças boas e um buraco no coração!

deborah raphael
IME-USP

É curioso ver como cada um descreve o Saulo que via, alguns mais de longe, alguns mais de perto. Porque se você para para pensar, ele realmente era um monte de coisa junta. Era o cara bem humorado que vivia na sala de café (seu único alimento durante o dia), conversando com quem aparecesse, e soltava gargalhadas que se ouviam em todo o Bloco A. Era o cara que adorava tirar um sarro, principalmente de alguns, e não arredava da brincadeira de jeito nenhum. Era também o ranzinza, o mal-humorado, quando as coisas tendiam para o lado que ele não achava correto. E também o conservador, que não queria modernismos, característica que nos irritava de vez em quando, mas era, em geral, benéfica, porque não era à toa, era apenas em prol de um ideal que ele tinha. Porque ele também se empolgava com as novidades, com as boas ideias, e estava atento ao que cada um fazia. Enfim, alguém que tocava a vida do jeito que queria, que não se curvava aos modismos, que amava aquilo que tinha profundidade e que podia se relacionar com todo mundo. Enfim, Saulo, ainda está difícil de acreditar. Você partiu cedo demais.

Eduardo Colli
IME-USP

Meus sentimentos à família do Saulo. Conheci o pai dele, e se me lembro bem fui eu quem o contratou para o Depto. de Matemática Aplicada. Não tive muito contato com ele; a impressão que eu tinha era de pessoa muito séria e reservada. Em minha concepção de mundo, o nascimento e a morte não são acasos, pois se assim fosse a vida não teria sentido. Estamos todos sujeitos a falecer repentinamente. Quando o falecimento é devido a causas naturais, não sendo um acaso, tem um sentido muito profundo; falece-se quando chegou a hora certa. Recomendo aos amigos e colegas que o conheceram bem, e aos familiares, que lembrem apenas dos bons momentos que tiveram com ele, especialmente os mais alegres. Uma reunião nesse sentido sempre faz muito bem.

Valdemar Setzer
IME-USP

Só agora percebo que onfundia a existência do IME com a possibilidade de cruzar com o Saulo no corredor, a qualquer hora. Vai ser difícil sepaar estas coisas agora, e fica um grande vazio a ausência dele. []s Marcelo Finger

Marcelo Finger
University of Sao Paulo